Tudo e nada


Posso ser a sa
udade, onde tudo implica,
onde nada sou, ou onde posso ser
Tudo isso, ou nada
Me fantasio agora, pois não sou verdade
Nem mentiras incobertas
Sou mentiras esclarecidas ao longo do tempo
Memórias como livros na estante

Do silêncio à um pulsar acelerado,
De tempos, e instantes
Tudo e nada.

10 comentários:

Marcus Natir disse...

Linda poesia. A nossa realidade, com tantos "meios termos". Parabéns!

Fique mais um segundo... disse...

Lindo poema.
Feliz dia internacional! Parabéns!
Um beijo carinhoso
Doces sonhos
Leo

Thalita Paiva disse...

Parece comigo, me encontro em tal realidade.

Parabéns pelo nosso dia, mulher!!
Bjx

Moni Abrao disse...

Que lindo!
Concordo completamente
"Sou mentiras esclarecidas ao longo do tempo
Memórias como livros na estante"
Incrível ^^
Ótimo fim de semana!

Inercya disse...

Adoro esse tipo de oposição. :)
:*

Mari disse...

Gosto desse tipo de composição, e essa ficou linda! Cmo sempre falo, vc escreve muito bem (: Adorei essa parte : 'onde posso ser
Tudo isso, ou nada
Me fantasio agora, pois não sou verdade
Nem mentiras incobertas' Vou até escrever na minha agenda hihi (: beijos, ana!

Nara Sales disse...

E somos, ainda que no tudo ou no nada.

Carol Barboza disse...

Ahh, que texto lindo Ana!
Sempre me identifico com suas doces palavras e nunca me canso de lê-las, amiga :)
Beijo e ótima semana pra vc
 Just Carol

Yasmin Vizeu disse...

Admiro tanto quem escreve poesias! Acho lindo e é um gênero que eu não consigo escrever nem morta! hahaha. Poesia é só para quem tem talento de verdade, e você tem! Adorei, doce, delicado.
Beijos.

Maria Carolyne disse...

Como na música do saudoso Raul Seixas - Gita: "Eu sou o tudo e o nada." Somos todos complexos não?! Bonito poema!

Postar um comentário

Sua opinião é importante e valiosa. Obrigada por visitar!