Tentando não lembrar


             E imagino, com palavras duras.
É bom, mesmo que seja assim tão nostálgico.
                                                                                                                                  Leia: Ao som de Someone Like You - Adele

Me devolva o sorriso, isso não tem graça. Mas sei que bem ou mal, vou me deitar e pensar em você do mesmo jeito em que suas palavras me machucaram. E agora ficou como canção que não deixo de escutar. Recupero-me - pois sou forte o bastante quando penso que vivi por nós dois. A verdade é que sua presença de limites e monótonas acorrentou nosso amor. E agora, qualquer coisa serviria de companhia. Mas me pego nos livros, e coloco um CD pra tocar, e nada tenho, pois sua lembrança começa a bailar a minha volta, e você me assombra um pouco, e eu não sei a tal ponto isso é bom ou ruim. Seus detalhes que eu conheço bem me parecem bem mais transparentes, e eu não queria lembrar. Não agora. E quando pego pra rascunhar alguma coisa na quietude do silêncio, sua imagem sem propósito me vem, e minhas mãos percorrem as palavras por você. Não sei bem se sua falta um dia me fará rir de tudo, ou se junto à você há alguma esperança. Não sei se os dias iram me sorrir... Se as tardes de domingo serão as mesmas e se as manhãs os pensamentos serão relativos quando eu acordar. Ou se vai demorar um tempo. Ou um “grande” tempo. Ou se a verdade é que depois de um tempo, a gente esquece mesmo, e começa de novo. Mas aqui eu estou, me sentindo tudo e nada. E ao mesmo tempo em que te quero por perto, te quero bem longe.

18 comentários:

Ariana disse...

"Ou se a verdade é que depois de um tempo, a gente esquece mesmo, e começa de novo. "

Olha flor ando passando por isso e o que posso te dizer é que esquecer a gente não esquece mas superar a gente supera, isso tu pode ter certeza.
Forças pra ti!

Beijos

Design Gráfico By (Soares) disse...

O tempo passa e o nosso coração cicatriza, às vezes se regenera rápido, às vezes é lento... mas o tempo que isso leva não importa, o que importa é com que garra você se levanta todos os dias para melhorar, esquecer e se amar. Pois o amor que você tem por você lhe dará forçá para o amanhã e quando você olhar para traz você vai simplesmente se ver...

Ana Luiza Cabral disse...

GENTE! QUERIDOS LEITORES! Não estou passando por isso, graças à Deus. Namoro a mais de um ano, e estamos muito bem! Sou bem abusada em fazer esses textos melancólicos, tristes, nostálgicos, e que se resume a muito sofrimento, não? haha Claro que a primeira impressão, por seu "meu mundo" é que eu esteja de fato sofrendo. Mas não, estou bem! É uma obra literária, em que eu me abuso a imaginar. E por isso, disse logo no início: "E imagino, com palavras duras. É bom, mesmo que seja assim tão nostálgico." Costumo imaginar... É que mesmo na hora de "imaginar" outras coisas, me vejo baseando um pouco do meu eu fantasioso, e fugir de mim assim, às vezes é tão mais eu, quanto estar em mim. Então imaginar se torna prazeroso - Disse isso na página "O blog".

Mas no entanto a percepção nos comentários de vocês queridos, quanto a isso, é valiosa e realmente verdadeira! E o mais bacana é que vocês envolvem mesmo quando leêm! Se envolvam, e opinem mesmo sobre o que realmente fala nos textos! Só estou dizendo para não ficar dúvidas quando ao sofrimento sendo meu, ok? E que imaginar me torna necessário! Aliás, eu acho que se eu estivesse me lendo, e não soubesse eu também pensaria. rs Um beijo! Continuem lendo, e comentando! :)

Estefanie Germanotta disse...

Faz um tempo que não venho aqui e quando me deparei com seu novo layout, simplesmente me apaixonei *-* Tá lindo demais seu cantinho. Sucesso, linda.

Coisas Fúteis

Thalita Paiva disse...

Nossa, Ana, também tenho uma facilidade de falar de melancolia incrível. Acho até que sou muito envolvida pelas palavras, de vez em quando fico triste do nada heuheu

Fala sério, o texto ficou foda!! (Desculpe-me a expressão, mas foi a melhor que achei pra atribuir a tuas palavras...).

Amanda Z. disse...

Me explica como você escreve tão bem assim? .-.
Adoro demais seus textos.
E foi perfeito ler ele ao som de Adele!

Beijos
www.diariodelooks.com
@diariodelooks

Rita Freitas disse...

Obrigada pela visita e pelo comentário.
Gostei do texto embora triste. Mas é na tristeza que muitas vezes o poeta encontra uma beleza subtil, que lhe tráz inspiração.
Abraço

Gabriela Freitas disse...

Lindo, triste. Ultimamente textos assim tem me lembrado tanto ele, bom saber que não está a passar por isso, há muita dor em suas palavras, ainda bem que não são reais.

Yohana Sanfer disse...

O dilema que ronda no peito quando o amor faz morada....gostei de ler menina! bjs e obrigada por sua visita tb!

Yasmin Vizeu disse...

A senhorita quer acabar com a gente escrevendo um texto tão lindo e colocando uma música dessas de fundo, né? hahaha. Também tenho disso de escrever o que não estou necessariamente passando no momento. Mas adorei o texto, tenho certeza que todo mundo já passou por fases como esta que tu descreveu, então provavelmente todos nós entenderemos.
Beijos!

Juliana Stott disse...

Você falou a mais pura verdade sobre a saudade que sentimos daqueles que nos fizeram sofrer. Mas nós, Ana, temos que ser muito fortes. Muito mais fortes do que qualquer paixão! Ela nos derruba, nos tira lágrimas, mas são elas que nos fortalecem e nos fazem crescer. Quem nos faz sofrer não merece mais a nossa raiva, mas sim o nosso adeus e o nosso bem educado desejo de ''boa sorte, viva bem.''

Antônio LaCarne disse...

lindeza de texto inspirador.

Beatriz Lopes disse...

É essa coisa de "querer-não querendo". Um io-io interno, uma vontade louca de praticar o desapego de certas pessoas e ao mesmo tempo uma pouca vontade de se desapegar das mesmas. Amar é arriscar, e só os fortes fazem isso. Me identifiquei demais com esse texto, e como pode essa Adele me arrepiar em todas suas músicas?! Incrível demais. Beijinhos, bom fim de semana! ;*

Ps: Desculpe pela demora em responder o comentário, estou na 1ª de cursinho e as coisas estão puxados pro meu lado.

Anônimo disse...

Oi Ana... amei esse texto, perfeito, continue assim.bjs

Pedro Menuchelli disse...

Tudo que nos faz falta, somente traz a dor porque realmente marcou de alguma forma a nossa vida e, com isso, sentimos muito. As vezes, estamos aqui e sem saber perdemos pessoas que nos fazem uma diferença enorme na nossa vida. Sem querer, simplesmente. O complicado é ter que se acostumar com a vida depois de que algumas coisas se vão, tudo parece perder o sentido. Mas é por isso que vivemos Ana, vivemos cada dia tendo que superar perdas, superar sentimentos que foram deixados de lado e infelizmente não há muito que possamos fazer. Infelizmente.

Um grande beijo, força!

Lorena Rocco disse...

Amor é confuso, né!? Ao mesmo tempo que completa... machuca.

Adoro Adele, mas minha nossa... enjoou! hahaha

Menina, tem um tempinho que não passo aqui mesmo, ou você lá, bem vinda de volta ;)

=*

Inercya disse...

Ei, anda espionando minha mente? Sério, acredite se quiser, estou no mesmo barco que você. E doeu ler essas palavras, pois foi como se saíssem de mim. Confesso que me segurei pra não chorar :x
mas né, é o que estou fazendo. "Tentando não lembrar"...
;*

Inercya disse...

ah, acabei de ler o comentário que voce deixou aqui na página. bem, sorte a sua, e melhor assim, é claro :)
de qualquer forma, me identifiquei com o texto, a lot.

Postar um comentário

Sua opinião é importante e valiosa. Obrigada por visitar!