E eu seria grande se soubesse que o "grande" é ser responsável demais?

Perto do real. Por aqui estou eu e sonhos, mais nada. Pessoas se viram na noite, e durante o dia bailam e correm pra satisfazer suas vontades. Eu sou observadora por enquanto, e pequena demais. Não conheço ainda essa parte que nos falam tanto. A pressa invade, e o sono não vem para cabeças cheias e inseguras. Eles sentem frios, e os desligados e leves demais pro mundo se soltam, como se não soubessem que os passos são elevados, e que o amanhã do futuro próximo, é realmente muito perto.

Eu ainda quero conhecer todos os espaços, e todos os abrigos que invade esse mundo. Eu sou cheia de perguntas, dúvidas e muitas incertezas. Meus pensamentos começam a se formar, derrepente desmoronam todos os detalhes e outra vez me formo... muito adiante, quando já sei exatamente me opinar pelo certo, e saber das voltas que um mundo tem. Antes disso, por vários e vários caminhos eu sou presença de pessoas de todos os jeitos, do absurdo ao extremo, e do mais oportuno também.

A maturidade é adquirida em alguns detalhes, nos exemplos e nas semelhanças. Preciso focar, estou à um mundo de turbulência. Eu preciso estar firme, estou entrando em algo que eu sempre dizia ser: “grande”. Hoje vejo que o tamanho não é nada. O “grande” que o papo de g-e-n-te g-r-a-n-d-e dizia era ser maturo, e ser responsável o bastante pra carregar todas as dores do mundo.

23 comentários:

Carol Barboza disse...

Você e suas palavras lindas e sua capacidade incrivelmente linda de se expressar... Ah, adoro! Poderia vir aqui todo dia 'ouvir' vc falar e postar esses textinhos incríveis :) E muuito obrigada pelos recadinhos mega fofos la no blog, Ana! Você é demais e sempre me anima e incentiva!
Beijo e tenha um maravilhoso restinho de quarta-feira.

Gabriela F disse...

Dizem que maturidade não tem haver com idade, é mais ou menos isso.

Carol Barboza disse...

Ana, eu fico muito feliz com as suas visitas lá no blog, sei que já te falei isso... mas eu gosto mesmo! Também me sinto íntima, acho que nós duas temos essa paixão pela escrita e teus posts me encantam, adoro vir aqui 'conversar' com você! Muito obrigada pelo carinho de sempre, vc é com certeza uma amiga virtual muito querida!
Beijo e ótima sexta-feira/fim de semana :)

. disse...

Ameei o texto. foi vc q fez??
Todos os seus textos são lindos!!!
Olha lá meu novo blog.:
Just-a-girl21.blogspot.com
beijos

Moni Abrao disse...

Ana, você tem um modo muito bonito de ver as coisas, de pensar, de conhecer e escrever! Já li alguns de seus textos e gostei do seu jeito!
Beijos

mary ronnie disse...

Obrigada Ana :)
eu também estou ansiosa para saber se vou conseguir realizar aquilo que quero fazer :)

Grasiele Souza disse...

Obrigada :) Estou no segundo de psicologia e essa profissão é linda demais, me encanto a cada novo semestre (estou no 4º agora)... Se vc gosta e tem o dom vá em frente, é dificil mas vale a pena viu!

Seu blog é lindo e você escreve muito bem.

Bejo

Aline Carlos disse...

Muito lindo o texto!

Helena Pavan Guimarães disse...

Demais esse texto!!!!!
Beijo e boa semana!!!!
Helena

Pedro Menuchelli disse...

Ana,
Mais uma vez, a sensibilidade das suas palavras tocaram meu coração com uma forma avassaladora. E em todo caso, concordo a todo momento com você. Ser "gente grande" hoje em dia, é um assunto complicado, porque as vezes por mais que sejamos adultos teoricamente, na prática isso se torna mais difícil pois não estamos acostumados com as responsabilidades de um adulto, o que complica e confunde nossa cabeça e nossa forma de ser.
Acho que seremos eternas crianças em corpos de adultos. Há pessoas que nunca vão ser "gente grande". Enquanto isso, vamos vivendo e vamos tentando fazer as coisas da melhor forma possivel.

Particularmente, admiro muito a forma com a qual escreve. É fácil de se entender e de encontrar uma constante reflexão. Um grande beijo Ana, uma ótima semana.

Carol Barboza disse...

Muito obrigada por todo o carinho, Ana.. Amo demais suas visitinhas lá no meu cantinho!
Desejo uma semana maravilhosa e beem azul pra vc!

JanaFerraz disse...

Ana, estou aqui para agradecer tua atenção lá no meu cantinho! Sua presença é uma alegria.
Gostei demais do seu blog, não tive muito tempo para ler tuas postagens, mas essa que li é madura e reflexiva. Você tem talento, moça! VOLTO SEMPRE.

Meu cantinho: www.misturadinamica.blogspot.com

diana disse...

é verdade querida. aquela música transmite-nos uma paz de espírito. obrigada pelo comentário :) beijinho grande !

Tarsila Aroucha disse...

você pode ser "grande" quando quiser, pois isso independe de idade querida, basta sentir...

e sentes muito bem!
beijo querida, lindo texto

Lara Oliveira. disse...

Depois que a gente cresce começa a entender o porque que os adultos vivem dizendo: "queria tanto voltar á minha nfância." Não é? Ótimo texto!

Larissa Z. disse...

Retribuindo a visita, Ana Luiza. Como sempre, você posta coisas lindas. Gosto muito de ler seu blog. De verdade. Você possui uma inteligência emocional rara, viu?! Se cuida, menina. Beijo forte.

Déborah Cavalcante disse...

Ana minha flor, obrigada mais uma vez pela atenção e carinho com meus textos. Você também é muito sensível, inteligente e madura, e eu fico imensamente feliz por ler e gostar dos meus textos. Perdoe-me pela ausência no teu blog, mas é que mal sei mexer aqui, rs. E entro rapidinho só pra postar os textos, e responder algum comentário, pois as coisas por aqui andam meio corridas.

Enfim, espero sempre contar com o teu senso crítico e as tuas palavras doces.

Muita luz pra ti, minha linda!


Parabéns pelo teu talento de escrever!

Amanda Z. disse...

Ana, sério você escreve muito bem *-*
Como sempre, eu veio aqui e me deparo com palavras lindas e textos literalmente incriveis! Adoro mesmo :D
E tenta sim fazer aquela make ^^ porque pessoalmente fica mais linda ainda hehe (:

Beijos
http://diariodelooks.blogspot.com/

Moni Abrao disse...

Olá Ana,
Gostaria que você visitasse meu blog, pois há um selinho para você! Espero goste. Me avise ok?
Beijinhos

Minne disse...

É velha síndrome de Peter Pan, e aquela velha história de que só damos valor quando perdemos, parece clichê, muito clichê, mas infelizmente é a verdade, são tantas responsabilidades, tantas preocupações que ganhamos com um certo tempo, que a vontade de voltar a ser aquela criança que só precisava se preocupar em gravar as letras do alfabeto e depois brincar pelo resto do dia nos atinge e esfrega na nossa cara o quanto éramos felizes. Ótimo texto!

Ivânia Santos (Diamond) disse...

Texto fantástico! Omg :0


Beijão*
Ivânia Diamond

Jéssica S. disse...

Ser "grande" não é fácil, é o que dizem. Ao longo do tempo, vamos adquirindo coisas que precisamos e aprendendo sempre com novas experiências de vida. Mas concordo com o Pedro: "Acho que seremos eternas crianças em corpos de adultos"

Excelente texto, Ana.
Estou te seguindo!

Elisama disse...

Ana...fico feliz com a sua presença lá no meu blog, seja bem vinda e volte sempre que puder ^^

E claro estarei visitando seu blog ^^
Beijos

Postar um comentário

Sua opinião é importante e valiosa. Obrigada por visitar!