Bagagem



Trem de pouso,
na hora de partir
Repetindo as cores,
Levando as dores

Carregando temores
Peito à dentro
Lua a solar

Sonhos sem saída
Ardente pulsar

Queria um tom ou um lápis
rabiscar o caminho da partida
Remando a tristeza para o lado de lá.

5 comentários:

Gugu Keller disse...

Por mais que seja leve, a saudade é sempre a bagagem mais difícil de se levar.
GK

Marcus Natir disse...

Saudade é preciso. Mas quando se mata ela, ah! como é bom! Lindo poema!

Gabriela Freitas disse...

A saudade pesa e não é fácil aguentá-la.

Augusto disse...

Como é linda a poesia, não? A prosa é muito boa também, mas sinto que poemas têm mais fertilidade, mais imaginação... E não precisa de descrições nem nada.

Muito bom =)

Jorge Leandro disse...

Os passos dados não podem ser apagados, mas caminhar, sem repetir os tristes caminhos de outrora, aumenta a distância da lembrança indesejada.

Postar um comentário

Sua opinião é importante e valiosa. Obrigada por visitar!