30 de maio

Dois anos. Duas pessoas e um mesmo amor. Não me sinto mal por ter entrado tão nova em um relacionamento. Das experiências, foi e é a mais bonita. Tão longe se passou - Perca de tempo, ou algo do tipo - Sempre foi regrado, com desejos a parte e uma porção de pensamentos atordoados e felizes - complementares - de mim mesmo.

Todas às vezes que pego o livro Um dia pra ler, vejo as cartas que Dexter e Emma (personagens do livro) escrevem um para o outro e sinto vontade de te escrever. Ás vezes me perco da leitura e os meus pensamentos são direcionados a tudo que eu queria te dizer, e logo depois corro pra caixa de e-mail para te entregar algumas palavras. Como aquele outro e-mail que te mandei, lembra? Mas te confesso que as palavras que eu pensei em te escrever agora estavam bem melhores enquanto eu pensava.

Por isso, pensei em te escrever um poema e vejo que o seu nome não rima com muitas coisas. E se por vez colocasse amor, soaria um pouco com dor - e não é bem isso o que eu quero dizer.

Mas resolvi falar de nós. Nosso amor é daqueles que não estão prontos para dizer adeus, e se por falha de um destino que deu/dá tão certo soasse despedidas, consequentemente estaria bem, à posta que tudo intenso foi, e que sempre desejamos ser um para o outro à todo momento - sobre despedidas com grandes chegadas, e sobre total entrega e cuidado do nosso amor.

Ter alguém para pensar, fazer planos, compartilhar sonhos, construir história, colecionar sorrisos - para chegar depois e ter o que contar, é brevemente tudo o que há de mais bonito se me perguntassem quais as melhores coisas construídas até aqui. E que serão daqui, para uma vida inteira - vividas ou levadas comigo, para sempre.


Te vi nas canções
Desenhei nossos planos - antes mesmo de chegar.
Você esteve tão lindo.
Acostumei com seus disfarces e suas desculpas.
Quiz me afastar, mas só me aproximava.
Tive tempo, te esperei.
Costumávamos dar as mãos em primeiros encontros e tudo era
meio (tão) fantasioso - até que tudo permanecesse no lugar.
Até que nossos encontros fossem um só.
E não teria sido nada completo se não fosse os nossos desencontros,
pois os desvios descontraídos me trouxe você.


Saiba que antes de dormir eu penso em você. No seu topete bizarro, nas suas barbas mal feitas. No seu nariz de pinóquio e no seu jeito engraçado de sorrir e brincar com tudo. Vejo você me esperando no altar, um pouco atrapalhado, claro, e fico desejando que os nossos planos deem uma andada por aí - por um futuro próximo. Mas se for distante, que seja feliz. Não seja por isso, gosto da pessoa que é, e até digo que se não fosse meu namorado, seria meu grande amigo. Ora bolas! Por que estou dizendo isso? Você deve estar fazendo cara feia agora, até porque esse lance de amizade pra você é uma questão que não caberia em planos futuros/sorrisos. A não ser que eu seja sua mulher, com um monte de filhos barrigudinhos e um cachorro grande e peludo derrubando a casa.

Saiba também que essa não é a única maneira que me pego pensando em você/sorriso. Gosto de estar com você, e me sinto feliz ao seu lado.

Eu te amo,
Ana

7 comentários:

Fique mais um segundo... disse...

Oi, Ana, boa tarde!!
Bem, é uma linda declaração. Está registrada, e o tempo a mostrará como prova de uma de suas teses. Espero que da tese de que o que tem que ser vence todas as barreiras que aparecem. Dois anos é muito e é pouco. É uma vida, e ainda não é nada. Tem centenas de momentos, mas tem a promessa de milhares. Parabéns. Que o tempo ensine a lição da continuidade.
É um lindo poema! Merece o momento e o momento o merece.
Um beijo carinhoso
Doces sonhos
Lello

Gugu Keller disse...

Bela como a flor recém molhada
É a aura da mulher apaixonada
GK

Lua. disse...

Olá adorei seu blog bjs.

William disse...

Tenho nem o que falar, Eu te amo!

Inercya disse...

Own, que declaração linda! Deu pra sentir como as palavras foram escritas soltas, sem nenhuma receita, apenas com os sentimentos se debruçando sobre os dedos, bem natural. Felicidades pro casal!
A foto traduz bem todo esse afeto e amor.

ps: to lendo o livro 'um dia', achei coincidência e resolvi comentar hehe
:*

Moni Abrao disse...

Que lindo! De verdade!
Li umas duas vezes e me encantei nas duas ^^
Parabéns por esse sentimento tão bonito!
Felicidades
Bom domingo

O Profeta disse...

Um sótão cheio de lembranças
Escrevi no pó palavras sem nexo
Retirei uma cartola de uma caixa de cartão
E senti ao toque o poder da ilusão

Ilusões…
Um cavalo de pau perdido ao carrocel
Uma estola de um bicho qualquer
Uma escultura talhada a cisel

Uma foto a preto e branco
De uma mulher sem rosto
Uma janela virada para nenhum lado
Uma traquitana a imitar o sol-posto

Terno abraço

Postar um comentário

Sua opinião é importante e valiosa. Obrigada por visitar!