Estranha perfeição


Contorceu-se de seus mesmos medos e murmúrios.
Foi pra outro lugar, reviver então.
Repassar as dores amargas das despedidas,
pra ir jogando de lado, fazendo as malas
e passando o futuro para o lado de lá.
Saltava então do pensamento,
flutuando em seus sonhos quase de pé.
Sentando um pouco pra respirar
se virou, e lá estava um mundo inteiro,
onde as lembranças não cabiam
em lugar nenhum, mas faziam parte
de um todo. Onde começaria
novos sorrisos, e

colecionar suas fantasias,
com o pé no chão.

4 comentários:

Vanessa Carvalho disse...

Que bonito.
Sempre é bom voar com os pés no chão,
sabendo que um dia podemos tropeçar
e mesmo assim não deixar de fantasiar.

Flores.

Gabriela Freitas disse...

Colecionar fantasias com os pés no chão, isso é possível?
Ficou bonito.
Adorei o layout.

rafaela ivo, disse...

E aí vem a parte mais difícil, que é recomeçar.
Mas também é a parte mais gostosa, e a parte que dá mais medo. Mas é necessário, e também é a cura. Gostei do texto, foi simples e sincero. Beijão!

Moni Abrao disse...

Que talento maravilhoso que vc tem com as palavras! Lindo, lindo!
Beijos

Postar um comentário

Sua opinião é importante e valiosa. Obrigada por visitar!