Sóbrio


Os pés no chão
O vento forte
O afago no peito

Há um encanto de extermínio
Nos olhos

Soou silêncio
Dor em respingos
Som ao ouvido

A alma cantou tranquila

Interferindo nos gestos, nos gostos
nos fundamentos

Enquanto se assentava os pensamentos

E o exílio sóbrio de cantar
continuou a espantar o medo.

1 comentários:

Autora Toca disse...

Lindo seu cantinho! :)

Postar um comentário

Sua opinião é importante e valiosa. Obrigada por visitar!