Um só, solitário



Insistente por trás de suas máscaras,

num estado frio e tão solitário.
Ainda murmurando e resmungando.
Relembrando os mesmos amargos.
Se olhando no espelho, e indagando suas
feridas e desencantos de sua face.
Esteve sempre em tempos desgastantes e perturbantes.
Afoga-se nas dores e soa nas impressões.
Chora, se condena – sem movimentos.
Ainda pelos caminhos tortos e incertos cuja são suas incertezas.
Se engana, e lamenta pelas marcas do tempo.
Se cobre de retalhos sendo cadeado e aprisionado por si mesmo.
Retorce de mágoas e delira sobre suas insônias.
De uma ignorância e uma fragilidade consumista.
Sem controle para derrotas – assim ainda pequeno se torna.
Uma alma morta abrigada quanto às folhas secas.
Uma teimosia calada e ofensiva.
E diálogos mal interpretados.
Dilacerando o tempo...  Apodrece a alma.
E cala-se o ainda murmúrio.
Se exila, vive de silêncio e cansa.
Sem folhas e pincel. Apenas memórias apagadas.
Em um lugar empoeirado e desconhecido,
vive um só e solitário. De vazio e de atormento.
Apunhalou um coração de pedra e só mesmo quis
se apoderar de vazio e solidão, até virar poeira.

28 comentários:

Juliana Stott disse...

lindo texto. a cada dia me surpreendo com seu jeito doce de escrever! me identifico em alguns versos (:

Luna Sanchez disse...

Ah, essa imensidão que a gente carrega no peito...!

Não deixa nunca de escrever, tá, Ana? Nunca mesmo.

Beijo grande.

Carol Barboza disse...

Ahhh Ana! Você nunca falha em me surpreender com suas palavras, amo amo amo!
Beijo e uma maravilhosa semana pra vc, queridíssima
 Just Carol

Vanessinha disse...

Lindo texto, muito parecido com as pessoas em alguns momentos da vida.
Ficamos estáticos, parados frente ao espelho, nos lamentando passados, lembranças...

difícil florescer...

Adorei

beijos e otima semana

Moni Abrao disse...

Que texto intenso!
"Se engana, e lamenta pelas marcas do tempo.
Se cobre de retalhos sendo cadeado e aprisionado por si mesmo."
Incrivelmente verdadeiro para alguns tipos de pessoa e totalmente bem escrito ^^
Boa semana! Beijos

Ana Luísa disse...

Amei esse texto. Venho acompanhando suas palavras, e por sinal, elas são lindas!
A solidão é algo realmente consumidor..
Beijos
http://www.analuisa-zc.blogspot.com

Estefanie Germanotta disse...

Cada dia que venho aqui, me surpreendo mais! Você escreve muito bem. Parabéns.

Zuza Zapata disse...

Nem tenho o que comentar moça, maravilhoso! :)

Gabriela Freitas disse...

Fiquei sem palavras Ana, muito bom.

Letícia disse...

Flor, suas palavras são sempre tão lindas!
Muito bom!
Beijo e ótima semana. ;**

Bruno Angeli (Reqqiem) disse...

A insistência de se olhar constantemente, para as próprias feridas e desencantos, gerando murmúrios e resmungos. A autocondenação constante, consumindo-se nestas verificações. A pessoa sempre ficará retida em si mesma porque fica impedida de ir adiante. «Cisma ao seu próprio respeito.»
Farei uma indicação de leitura, a dissertação de Abdruschin, «Cismadores»: http://graalrik.blogspot.com/2011/07/cismadores.html. O belíssimo poema da Ana lembrou-me a leitura acima.

Carolda disse...

Sempre me pergunto onde é o limite entre ser só e ser solitário. Até onde isso é bom?

beijo

Amanda Z. disse...

Posso pedir como outras pessoas para nunca parar de escrever? (:
Porque são poucas pessoas que tem esse dom ok? Você é demais ^^


Beijos
www.diariodelooks.com
@diariodelooks

Carol Barboza disse...

Oi minha querida, só estou passando pra te desejar um maravilhoso restinho de semana, viu.. :)
Beeeijo
 Just Carol

Por que você faz poema? disse...

Somos poeira...
...e solidão

martasousa disse...

a lista que compete contra nós é muito forte mas mesmo assim não vamos desistir :)

Beatriz Lopes disse...

Engraçado, esse texto me lembrou muito Humbert. Humbert.,protagonista do drama Lolita. Eu adoro esse sentimento de melancolia, relacionado à solidão (em textos, é claro HUFUHUDHD). É pra mim, um dos mais inspiradores. Beijos :*

diu kuspik (: disse...

tu simplesmente escreveu tudo, t-u-d-o.
amei o texto.

Nara Sales disse...

Forte e solitário...

Brenda disse...

Perfeito Ana!

Unlucky disse...

Great site and nice design. Such interesting sites are really worth comment.

In a Hindi saying, If people call you stupid, they will say, does not open your mouth and prove it. But several people who make extraordinary efforts to prove that he is stupid.Take a look here How True

Inercya disse...

ótimo texto, Ana. *-*

Yohana Sanfer disse...

Ual! Que texto intenso! Gostei moça!

Mah disse...

Acho que todo mundo tem um momento assim neh?

Muito lindo e cheio de emoção! ;)

beijos

O Profeta disse...

Senti nos pés o pulsar da ilha
Um farol avisa o longe do perto
A lava encoberta na costa dormente
Sete rumos e apenas um certo

Neste Mar senti a vontade de prantear
A nudez da noite no encontro do silêncio total
Encobriu meu pranto das estrelas
Uma zombeteira Lua marcou no dia o encontro final

Mágico beijo

@yasmin_vizeu disse...

Somos todos, ao menos a maioria, de se condenar ao parar para olhar a si mesmo... "Ainda pelos caminhos tortos e incertos cuja são suas incertezas." Adorei!

A verdade nua e crua disse...

imenso, intenso, com uns vãos e porém, digno de um grande mundoo!

@juhhouse

Estamos criando uma página no face se puder curtir divulgar...
http://migre.me/60BWb
Abraço!

Luara Q. disse...

Quanta intensidade em suas palavras, adorei.

Postar um comentário

Sua opinião é importante e valiosa. Obrigada por visitar!